15 49.0138 8.38624 arrow 0 bullet 0 4000 1 0 horizontal https://gustl-rosenkranz.de 300 4000 1
Blog de Gustl Rosenkranz
um hospício chamado Brasil

Um hospício chamado Brasil

29 de novembro de 2019
70 Visualizações
Um desabafo sobre a situação atual que nossa sociedade atravesa.

Desculpem-me, mas preciso desabafar. Sei que ler desabafo é um saco. Portanto, se quiser ler e tiver paciência, leia, se não quiser, tudo bem também, mas vou escrever de um jeito ou de outro, pois já não estou aguentando mais tanta loucura, tanto delírio e devaneio, tanto bate-boca, tanta briga e tanto ódio, tanta imaturidade e tanta desumanidade. Militantes camicases que se dizem de direita ou de esquerda, mas que nem sabem direito a diferença e andam em linha reta com a cabeça contra o muro, tão desorientados que só empurram o Brasil para mais perto do abismo, mas convencidos de que estão certos e todo o resto está errado.

Não dá para aguentar tanta ignorância, tanta falta de respeito, tanta grosseria, discussões sem nexo, ignorando fatos e torcendo verdades, onde se argumenta com insultas e mentiras, onde se justifica ódio, racismo, homofobia, machismo e tantas outras coisas ruins com a liberdade de expressão, como se fosse necessário explicar a marmanjos e marmanjas, gente adulta, eleitores, uns que dizem até ter estudos, que a liberdade de expressão de qualquer pessoa termina no momento em que ela fere os direitos e a dignidade de qualquer outra pessoa. Sinceramente, precisa explicar isso?

O presidente de nosso país foi denunciado ao Tribunal Penal Internacional por “crimes contra a humanidade” e “incitar o genocídio e promover ataques sistemáticos contra os povos indígenas do Brasil”.

o Presidente da República Federativa do Brasil foi denunciado ao Tribunal Penal Internacional por “crimes contra a humanidade” e “incitar o genocídio e promover ataques sistemáticos contra os povos indígenas do Brasil”

Vocês entenderam? Vejam só, vou repetir: o Presidente da República Federativa do Brasil foi denunciado ao Tribunal Penal Internacional por “crimes contra a humanidade” e “incitar o genocídio e promover ataques sistemáticos contra os povos indígenas do Brasil”, coisa que me fez sentir enorme tristeza e vergonha, e esse povo fica de bate-boca na internet, como se não tivessem nada melhor para fazer, como se não tivesse nada de grave acontecendo? E, pior, ainda tem gente que se julga inteligente e apoia esse homem?

Não dá, não dá para entender, como não dá para entender também outras coisas, como o apoio de mulheres a políticos machistas, a simpatia de negros por políticos racistas, a admiração de homossexuais por um políticos homofóbicos, a devoção de pobres por alguém que disse que “pobre só é útil para votar com título de eleitor na mão e diploma de burro embaixo do braço”. É tudo surreal, o Brasil está parecendo um hospício!

A coisa está tão biruta que vi um homem brasileiro, negro, gay, de origem pobre numa discussão defendendo partido nazista na Alemanha. Me deu um gelo na espinha!

Não é uma bizarrice a pessoa que foi nomeada para cuidar dos direitos humanos e das mulheres possuir a maturidade de alguém que usa sua popularidade de ministra para tentar (finalmente?) conseguir achar um marido?

Parece que estou vendo uma comédia barata. É de desesperar, ou não?

A corrupção correndo solta, a violência também, loucos irresponsáveis se armando, a Amazônia queimando descaradamente, pastores estranhos e falsos profetas trocando favores com políticos, ministro e filho do presidente ameaçando o povo com o AI-5, o uso de agrotóxicos aumentando cada vez mais, reservas indígenas sendo invadidas, as praias do Nordeste “ricas” em petróleo, um ministro da educação mal-educado e incapaz, um ministro do meio ambiente precisando esclarecer origem de fortuna, toda hora um escândalo, e tem a morte de Marielle Franco, que mostra a profundidade da lama, a suspeita do envolvimento de polícia com o crime organizado, de políticos com milícias, mas não políticos quaisquer, pelo contrário, a “grande família”, cujo pai, o Mito (acho esse nome perfeito!) é o presidente, que está desgovernando e arruinando o país junto com seus três pimpolhos.

Uma coisa que me angustia é que esse governo está colocando o acordo comercial com a União Europeia em risco. Na verdade, não vejo chances desse acordo vir à prática enquanto Bolsonaro estiver no poder. A resistência na Europa é grande, com um alto índice de rejeição da população, de políticos e organizações.

Isso me angustia porque vejo uma chance de finalmente sairmos um pouco dessa ilha chamada Brasil, de nos abrirmos mais para o mundo, não somente para turistas, mas também para produtos e tecnologias. Como qualquer acordo com a União Europeia implica que a outra parte se compromete a respeitar padrões de democracia, Estado de Direito, Direitos Humanos e proteção ambiental, o Povo sairia ganhando. Os produtores e empresários brasileiros ganhariam com o aumento das exportações e teriam grande interesse em uma política bem mais sensata que esta que temos agora, mas também que todas as outras antes dela.

Outra vantagem seria um acesso a uma maior diversidade de produtos, de melhor qualidade e até mais baratos (já que aumentariam a concorrência). Gente, quem já esteve na Europa e foi às compras sabe o quanto o Brasil capenga atrás do que está acontecendo no mundo. Produtos de fora aumentariam a pressão sobre a indústria brasileira, que se encontra hoje numa situação confortável, investindo pouco na qualidade dos produtos e em inovações (os carros são um bom exemplo) e cobrando caro por eles.

Penso que esse acordo, se fechado com calma e atenção, de uma forma transparente e justa para ambos os lados, seria um importante impulso para o Brasil. Mas com esse governo irresponsável ele não será possível.

Bom, ainda tem um assunto aqui entalado: Lula.

“Lu-la-lá, brilha uma estrela”, lembra? O problema é que tem gente que acreditou e o transformou exatamente nisso: numa estrela, mais que isso, num profeta, num santo, numa vaca sagrada!

Fui contra a prisão de Lula porque há (e sempre houve) evidências de que foi um processo político, com um juiz que impediu Lula de concorrer novamente à presidência em troca de cargo de ministro e o diabo sabe mais o quê. O fato de Moro ainda ser ministro é um absurdo, uma vergonha. Em qualquer país sério ele já teria tomado um pontapé no traseiro há muito tempo. Isso não foi só um ataque contra Lula, o que ele fez foi um ataque à democracia, às instituições, à sociedade.

Mas meu apoio a Lula termina aí. Se Lula foi corrupto durante seus governos ou não, isso não sei. Se há suspeita séria e fundada, que seja apurada, dentro da Lei, por uma justiça íntegra e séria, mas isso tem que valer para todo mundo, para todos os outros políticos, tanto faz se de direita, esquerda ou zarolho, mesmo que seja gente da família do presidente, e não só na política federal, tem que olhar os governadores atuais e antigos, os deputados, os prefeitos e vereadores, todos. Ninguém está acima da Lei.

Se queremos um país sério, então precisamos fazer é uma faxina geral, com uma mudança radical de mentalidade, de que a política é lugar para encher os próprios bolsos e beneficiar parentes, amigos e sócios e comparsas, e temos que acabar com a impunidade, que, para mim, é a origem da bagunça. Enquanto a sociedade não conseguir que a Lei seja aplicada igualmente para todos, punindo TODOS os criminosos de forma consequente, mas sempre conforme as regras do Estado de Direito, a coisa não vai consertar.

Por isso, precisamos de uma justiça realmente justa, independente e qualificada, que funcione. E mais do nunca é importante defender o STF. Talvez, no final desse filme de terror, ele venha a ser nossa única esperança. Ele não pode ser dominado por quem se sente incomodado com a aplicação da Constituição e da Lei.

Vejo muita gente “de esquerda” criticando os “bolsominions” por terem político de estimação, por o adorarem, mas fazendo a mesma coisa, só que com Lula, idolatrando, delirando, insultando, odiando, atacando, da mesmíssima maneira, igualmente intolerantes, ignorando que numa discussão adulta e civilizada é permitido “atacar” argumentos (=contra-argumentar), mas não as pessoas.

No final, você vê o furado falando mal do rasgado, num bate-boca sem sentido, desperdiçando preciosa energia e recursos, gastando tempo com coisas sem nenhuma lógica, como discutir sobre Terra plana e outras besteiras, sem perceber que isso só serve para nos distrair, para desviar nossa atenção de coisas realmente sérias, como o aquecimento global, com os mares cheios de plástico e mudanças climáticas que já estão provocando catástrofes sérias que já nos dão motivos mais que suficientes para estarmos desesperados, mas vejo é o povo de repente preocupado com Black Friday e consumo selvagem. Nessas horas, só tenho vontade de sair do cinema por ter a sensação de estar vendo o filme errado.

um hospício chamado Brasil

Vixe, tá ficando longo. Melhor parar. Assunto não falta, mas já desabafei e também não faltarão outras oportunidades. Se leu até aqui, parabéns. Bom nível de paciência. Obrigado. Ah, feliz Black Friday! Aproveite, pode ser a última.

Atravessamos um momento sensível e difícil em nossa história, mas, mesmo assim, desejo a todos nós serenidade e sensatez e um pouquinho mais de amor no coração.

Conteúdo publicado originalmente no Facebook:

Desculpem-me, mas preciso desabafar. Sei que ler desabafo é um saco. Portanto, se quiser ler e tiver paciência, leia, se…

Gepostet von Gustl Rosenkranz am Donnerstag, 28. November 2019
Blogueiro, estreado na Bahia, residente em Berlim, brasileiro de nascença, alemão por opção, adepto da empatia e da gentileza, fã de boa argumentação, apaixonado por palavras, observador, escreve sob a vida e tudo que a toca.
Comentários 0

    Escreva uma resposta