Gustl Rosenkranz
FÜR DIE PERFEKTE SCHÖNHEIT

FÜR DIE PERFEKTE SCHÖNHEIT

Cuidar de si ese preocupar com sua aparência é normal e até tem a ver com respeito por si próprio. O problema é o exagero e uma eterna busca por uma beleza que jamais será atingida, pois é uma ilusão.

Passei na porta de um salão de beleza aqui perto de casa e li na vitrine “FÜR DIE PERFEKTE SCHÖNHEIT!” (em português: “Para a beleza perfeita!”).

Tive vontade de entrar lá e perguntar o que seria uma “beleza perfeita”. Seria a beleza das capas de revista? E quando é que uma pessoa ficaria “pronta” e “perfeitamente bonita”? Seria quando corta ou tinge o cabelo ou enche a cara de pó? Ou quando coloca pepino em cima dos olhos mesmo sabendo que ele contribuiria muito mais se fosse parar no estômago? Ou seria quando se dá injeção nos lábios para ficar beiçudo(a), quando se veste roupa cara/de marca (muitas vezes fazendo propaganda de graça, já que a marca é mostrada de maneira proeminente) ou quando se usa roupa íntima “automobilística” (daquelas bem apertadas para segurar os “pneus”)?

FÜR DIE PERFEKTE SCHÖNHEIT3

Eu, hein. Já tá difícil me sentir bonitinho, imagine só então “perfeitamente bonito”! Seria mais fácil escalar o Himalaia andando de costas do que me sentir um dia desse jeito. Mas, para ser sincero, nem quero, pois sei que perfeição normalmente não existe. Quando existe, é uma ilusão.

Mas essa história de correr exageradamente atrás da beleza me parece muito comum e a vejo em todo canto. Basta entrar em qualquer supermercado, farmácia ou drogaria para ver o monte de produtos de beleza (majoritariamente químicos!) nas prateleiras – sem falar nas lojas especializadas do ramo. Ou veja o tempo “perdido” e o dinheiro gasto com visitas em salões para fazer unha, domar os cabelos, mascarar a pele e fofocar. E os banheiros, que parecem pequenos polos petroquímicos, repletos de frascos, frasquinhos e frascões, potinhos, sprays, tubos e bisnagas, meio mundo de fórmulas, umas com metais, outras com algas, já outras com amoníaco e até coisas mais sérias. Eu já me pergunto o que aconteceria se a gente pegasse tudo isso que se tem no banheiro e misturasse numa panela e depois tampasse. Acho que explodiria.

FÜR DIE PERFEKTE SCHÖNHEIT

Sem falar do cheiro, que muitas vezes é insuportável. Ou alguém gosta do cheiro de sprays para cabelo?

É claro que devemos nos cuidar e é normal nos preocuparmos com a aparência, isso faz parte e tem até a ver com respeito por si próprio. O problema é esse exagero, essa eterna busca por uma beleza externa, superficial, consumista e que, com o tempo, termina se tornando artificial, pois, se alcançada um dia, muito provavelmente será resultado de coquetéis químicos, esticadas cirúrgicas e outras perversidades.

Isso me incomoda porque não consigo ver o ser humano dessa maneira. Do que me adianta a beleza exterior se dentro da pessoa tem um vácuo, que só aumenta, à medida que ela se entrega ainda mais a uma ilusão? Enquanto corre atrás de algo que não existe, ela, talvez sem perceber, se afasta de si mesma.

Infelizmente, tenho observado bastante isso. É uma preocupação exagerada com a aparência, uma enxurrada de marcas e produtos, propagandas sem fim… Não entendo como podemos dar uma importância tão grande a um pedaço tão pequeno de nós.

Sim, bastante pequeno é, para mim, o que mostramos para fora. A maior parte de nós está dentro da gente e, então, a beleza interior só pode ser bem maior. E mais verdadeira.

Nosso tempo neste mundo é tão curto. Acho uma pena quando vejo tempo sendo desperdiçado com coisas tão fúteis, tão fugazes e tão insuficientes.

Entendo que a tentação é grande, tem muita gente querendo nos convencer que correr atrás da beleza vale a pena, claro, pois essa gente ganha dinheiro com isso. Propagandas brilhantes prometem “milagres”, até contra o envelhecimento, e “falsos ídolos” nas mídias nos dizem para usarmos esse ou aquele produto para ficarmos tão bonitos (ou tão feios, uma questão de ponto de vista) como eles.

Mas entendo também que cada um é livre para viver sua vida como quiser. Cada um sabe quanto tempo (e dinheiro!) ele quer investir em sua vaidade. E se gosta de tanta química, use. Se é Bayer, com certeza é bom. Não quis criticar, só quis deixar aqui meus pensamentos, que pensei depois de ler “FÜR DIE PERFEKTE SCHÖNHEIT” na vitrine do salão de beleza aqui perto de casa. Só isso.

Agora fico por aqui, satisfeitíssimo com minha beleza imperfeita 😉

Caso deseje utilizar algum conteúdo deste blog, leia, por favor, estas informações.

Gustl Rosenkranz

Blogueiro, estreado na Bahia, residente em Berlim, brasileiro de nascença, alemão por opção, adepto da empatia, apaixonado por palavras, observador, escreve sob a vida e tudo que a toca. Contato: gustl.rosenkranz@outlook.com

Escreva um comentário

Most discussed