Contos

O bicho-sabão

O bicho-sabão

Você conhece o bicho-sabão? Não?
Então você deveria conhecê-lo!

O bicho-sabão é um bichinho muito interessante, diferente de outros bichos que a gente conhece.

O bicho-sabão
O bicho-sabão feliz, dando cambalhota

Apesar do nome, o bicho-sabão não é feito de sabão. Ele se chama assim por ser lisinho como sabão e escorregar para longe, assim que alguém tenta segurá-lo.

Por isso, ninguém consegue agarrá-lo. Basta tentar e ele escorrega e dá no pé!

O bicho-sabão é um animalzinho muito sorridente, que passa os outros bichos muita energia positiva, alegra a floresta e ilumina onde é escuro.

O bicho-sabão adora música
e só vive cantando,
sorrindo
e brincando!

O bicho-sabão cantando

É uma gracinha esse bicho-sabão!

O bicho-sabão é feito de liberdade. Ele nasceu para ser livre. Se for preso, entristece e fica deprimido.

Todos os animais da floresta gostavam do bicho-sabão, não, espere aí, nem todos. Havia um bicho estranho, que não gostava: o bicho-vinagre.

O bicho-vinagre não era feito de vinagre. Ele se chamava assim por ser um bicho azedo, mal-humorado, que não gostava de ninguém. E ninguém gostava dele.

Assim, o bicho-vinagre não gostava nadinha do bicho-sabão porque se sentia incomodado por sua alegria.

Um dia, com muita raiva, o bicho-vinagre fez uma gaiola bem forte, armou uma emboscada e prendeu o bicho-sabão. Depois, pendurou a gaiola numa árvore, bem no alto, para que todos os outros animais vissem o bicho-sabão preso e triste.

O bicho-sabão na gaiola do bicho-vinagre

E o bicho-sabão ficou realmente triste, perdeu o sorriso e parou de iluminar a floresta com sua alegria.

A floresta escureceu e os outros bichos também ficaram tristes e sentiram muita falta do sorriso do bicho-sabão.

O bicho-sabão
O bicho-sabão triste

Enquanto o bicho-sabão ficava mais e mais triste, todos na floresta pensavam:

“Não se pode prender a liberdade! Triste assim, o bicho-sabão vai morrer e com ele a liberdade também morrerá!”

Somente o bicho-vinagre estava muito satisfeito com o bicho-sabão como seu prisioneiro.

Mas, então, começou a chover na floresta. O bicho-sabão tomou muita chuva e ficou até um pouco resfriado, mas, molhadinho, o bicho-sabão é como sabão: escorrega que é uma beleza!

E o bicho-sabão escorregou da gaiola
e voltou a sorrir,
a cantar,
a brincar.

E toda a floresta clareou
e voltou a sorrir,
a cantar,
a brincar.

Muito triste, o bicho-vinagre continuou azedo, mas entendeu que não se pode prender a liberdade e foi embora da floresta para morar sozinho numa caverna.

Os outros bichos fizeram uma grande festa e tinham uma surpresa: trouxeram muitas flores e, com elas, fizeram perfume e o derramaram em cima do bicho-sabão.

O bicho-sabonete

O bicho-sabão, além de livre, alegre e brincalhão, também ficou perfumado, o que o deixou ainda mais feliz. E, hoje, assim tão cheirosinho, ninguém o chama mais de bicho-sabão. Os animais da floresta o batizaram de BICHO-SABONETE.

Fim.

Você pode comentar via Facebook ou através do formulário no final da página.

3 comentários

Click here to post a comment

  • Oi Gustl,
    Adoro o que escreve e tenho alguns meus preferidos e esse vai entrar na lista, pois acho maravilhoso e de grande sabedoria quando uma historia ludica, que parece escrita para crianças entra em contato com nosso mundo interno e lá acessa nossa sensibilidade para nos re-humanizar! Essa história está no meu catalogo do Pequeno Principe, A andorinha do Mar, O menino do dedo verde e muitos outros..
    Grata por esse presente,
    Genoveva

    • Bom dia Gustl,Parabéns pelas suas publicações, essa sua história relacionada a perda de liberdade de expressão e do bicho-papão que se torna o bicho sabonete é muito interessante.Nos abre a possibilidade de pararmos e analisarmos os acontecimentos.👍👏🤔👏