Gustl Rosenkranz
Tapete higiênico

Tapete higiênico: uma forma de maltratar o cachorro

Mesmo sem ser essa a intenção, muita gente termina maltratando seu cachorro quando o obriga a fazer suas necessidades em jornal ou tapete higiênico, ao invés de sair com o animal.

Vivo em apartamento e tenho um cachorro. Isso significa que tenho que sair com ele várias vezes por dia para que possa:

  1. se movimentar
  2. se distrair (higiene mental)
  3. cheirar o mundo (e assim ter a chance de treinar seu olfato com cheiros novos)
  4. ter contato com outros cachorros
  5. fazer suas necessidades fisiológicas
Tapete higiênico
É importante sair com o cachorro.

Nem sempre é fácil sair, pois há dias de tempo escasso ou de chuva/frio, mas isso não interessa, já que assumi a responsabilidade de ter um animal e tenho que lidar com ele da forma correta. Então, tenho que sair de qualquer jeito, pois ele precisa disso.

No dia em que eu não estiver mais disposto a sair sempre, independentemente de qualquer coisa, deixarei de ter cachorro em casa.

Tapete higiênico ao invés de sair?

Vejo então outras pessoas na mesma situação, com cachorros em apartamento/em casa pequena, mas que praticamente não saem. Até mesmo as necessidades têm que ser feitas num cantinho qualquer, dentro de casa, em cima de jornal ou disso que se chama de “tapete higiênico”. Confesso que tenho pena desses animais.

Acredito que a maior parte dessas pessoas ama seus bichos e age com boas intenções, sem perceber que está maltratando. Mas acredito também que há um comodismo de certos donos de cachorros, que aceitam essa realidade estranha sem questioná-la, sem buscar informações, pois isso significaria sair mais com o cachorro e ter um pouco mais de trabalho.

Cachorros precisam sair

Ora, cachorros não fazem simplesmente suas necessidades. Fazer cocô e xixi tem para o cachorro funções que vão além disso.

Cachorros se comunicam também pelo olfato, mesmo quando o outro cachorro não está presente. Pelo cheiro da urina, por exemplo, o cachorro sabe quem passou por ali. E, ao urinar, ele diz aos outros que ele também esteve naquele lugar. Ele usa a urina e as fezes também para marcar seu território e avisar a “invasores” que o pedaço tem dono.

Ou seja: para um cachorro, fazer suas necessidades tem também a ver com comunicação e interação social. Um cachorro que fica preso dentro de casa é privado disso, o que não é bom. Observo que muitos desses cachorros têm um comportamento difícil, porque falta esse contato.

A questão das necessidades fisiológicas do cachorro é ainda mais complexa, mas prefiro não aprofundar mais para não esticar muito o texto.

O que importa é entender que para o cachorro é importante que ele saia para passear regularmente, no mínimo duas ou três vezes por dia, pelos motivos já ditos, e que o lugar dele fazer suas necessidades é lá fora.

1m²: comida, cama e banheiro no mesmo lugar

Visitei uma vez uma pessoa que tinha dois cachorros. Os coitados dos animais dormiam, comiam e faziam suas necessidades (sobre jornais!) na área de serviço do apartamento, num espaço de mais ou menos um metro quadrado. E aqui se vê bem os maus-tratos (mesmo que não intencionais): um cachorro jamais faria suas necessidades onde come e dorme se tivesse outra opção. Isso o cachorro costuma separar bem, quando lhe é permitido.

Sair com seu cachorro não faz bem somente ao animal.

Saia com seu cachorro!

Se você mora em apartamento e tem ou quer ter um cachorro, aceite que você precisa sair regularmente com ele e entenda que não é bom obrigá-lo a fazer suas necessidades em cima de um jornal ou em “tapete higiênico”.

Como costumo dizer: quem ama, se informa. Se você ama seu cão, então se informe direitinho sobre o que ele precisa para viver bem e não se preocupe somente com o que é conveniente para você e seja crítico com informações vindas de quem quer lhe vender alguma coisa (vi “especialistas” recomendando esses tapetes em sites que também faziam propaganda para essa e outras inutilidades).

Sair com seu cachorro não fará bem somente a ele. Também você sai ganhando: vai se movimentar, vai ter contato social e vai ficar menos tempo na internet lendo textos como este.

Por favor, nada de jornal ou tapete. Saia com seu cachorro! Ah, não quer sair? Desculpe a franqueza, mas então cachorro não é o animal certo para você. Que tal um porquinho-da-índia? 😉

Caso deseje utilizar algum conteúdo deste blog, leia, por favor, estas informações.

Gustl Rosenkranz

Blogueiro, estreado na Bahia, residente em Berlim, brasileiro de nascença, alemão por opção, adepto da empatia, apaixonado por palavras, observador, escreve sob a vida e tudo que a toca. Contato: gustl.rosenkranz@outlook.com

Escreva um comentário

Most discussed